Sede do CRA-SC

Local
Florianópolis, Brasil
Ano
2010
Descrição

O partido que apresentamos atende às necessidades funcionais e simbólicas da nova sede do CRA-SC. Consideramos a morfologia do terreno, a relação do edifício com o entorno, os condicionantes climáticos, bem como o potencial econômico para implementação do projeto.

A principal característica é o diálogo equilibrado que propomos com ambas as ruas que delimitam as testadas do lote. O grande desnível entre elas nos incentivou a intercalar os espaços de convívio com os de garagem, possibilitando o acesso de pedestres e veículos por ambos os lados. Situamos importantes funções que se relacionam diretamente com cada um deles. Essa relação com as duas cotas distribui melhor os fluxos de pessoas e automóveis, causando menos impacto às vias e evitando a segregação de um dos lados. Desse modo, posicionamos os pavimentos tipo totalmente acima da rua João Motta Espezim, criando um pavimento de transição junto a esta rua que dá acesso ao prédio e a um pavimento garagem logo abaixo. Na rua inferior criamos um plano erguido que serve de base para o auditório e que dá acesso a três patamares de garagem intercalados, minimizando a necessidade de detonação de rochas e escavação.

No nível inferior fica o auditório com foyer e mezanino, aproveitando as dimensões maiores do embasamento. Em dias de eventos o acesso de participantes será pela rua Pref. Waldemar Vieira, mais adequada a um tráfego mais intenso. No nível superior fica o acesso à torre e ao salão de festas. Em dias de confraternização o acesso fica facilitado, evitando-se o uso da circulação vertical. Do mesmo modo, localizamos as salas de cursos e a biblioteca em pavimentos mais baixos. As vagas para estacionamento rápido de visitantes e entregadores situam-se próximas à recepção, facilitando o acesso dos visitantes. Neste nível posicionamos uma praça aberta com espelho d’água. Voltada para o norte e protegida do vento, ela oferece uma bela visão da paisagem, além de fazer a transição entre a recepção e o exterior do edifício.

A estrutura do edifício foi pensada em função da localização do auditório na base. Para garantir seu bom funcionamento evitamos a colocação de pilares no meio da platéia. Desse modo, optamos por uma estrutura com quatro apoios principais, todos periféricos à grande sala.

Demos preferência ao emprego de recursos passivos e de baixo custo, que trarão economia ao longo da vida útil do edifício.